prof pedro em Estremoz

web site de apoio às turmas da escola secundária Rainha Santa Isabel

história a | décimo segundo

PROGRAMA HISTÓRIA A (12º ANO)

Módulo 7 – CRISES, EMBATES IDEOLÓGICOS E MUTAÇÕES CULTURAIS NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX

As transformações das primeiras décadas do século XX

1.1. Um novo equilíbrio global
– A geografia política após a Primeira Guerra Mundial. A Sociedade das Nações.
– A difícil recuperação económica da Europa e a dependência em relação aos Estados Unidos.

1.2. A implantação do marxismo-leninismo na Rússia: a construção do modelo soviético.

1.3. A regressão do demoliberalismo
– O impacto do socialismo revolucionário; dificuldades económicas e radicalização dos movimentos sociais; emergência de autoritarismos.

1.4. Mutações nos comportamentos e na cultura
– As transformações da vida urbana e a nova sociabilidade; a crise dos valores tradicionais; os movimentos feministas.
– A descrença no pensamento positivista e as novas concepções científicas.
– As vanguardas: rupturas com os cânones das artes e da literatura.

1.5. Portugal no primeiro pós-guerra
– As dificuldades económicas e a instabilidade política e social; a falência da 1ª República.
– Tendências culturais: entre o naturalismo e as vanguardas.

2. O agudizar das tensões políticas e sociais a partir dos anos 30

2.1. A grande depressão e o seu impacto social

2.2. As opções totalitárias
– Os fascismos, teoria e práticas: uma nova ordem nacionalista, anti-liberal e anti-socialista; elites e enquadramento das massas; o culto da força e da
violência e a negação dos direitos humanos; a autarcia como modelo económico.
– O estalinismo: planificação da economia, colectivização dos campos, burocratização do partido; repressão.

2.3. A resistência das democracias liberais
– O intervencionismo do Estado.
– Os governos de Frente Popular e a mobilização dos cidadãos.

2.4. A dimensão social e política da cultura
– A cultura de massas e o desejo de evasão; os grandes entretenimentos colectivos; os media, veículo de modelos
socioculturais.
– As preocupações sociais na literatura e na arte; o funcionalismo e o urbanismo.
– A cultura e o desporto ao serviço dos Estados.

2.5. Portugal: o Estado Novo
– O triunfo das forças conservadoras; a progressiva adopção do modelo fascista italiano nas instituições e
no imaginário político.
– Uma economia submetida aos imperativos políticos: prioridade à estabilidade financeira; defesa da
ruralidade; obras públicas e condicionamento industrial; a corporativização dos sindicatos. A política colonial.
– O projecto cultural do regime.

3. A degradação do ambiente internacional
– A irradiação do fascismo no mundo.
– As hesitações face à Guerra Civil de Espanha; a aliança contra o imperialismo do eixo nazi-fascista; a mundialização do conflito.

Módulo 8 – PORTUGAL E O MUNDO DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL AO INÍCIO DA DÉCADA DE 80 – OPÇÕES INTERNAS E CONTEXTO INTERNACIONAL

1. Nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico

1.1. A reconstrução do pós-guerra
– A definição de áreas de influência; a Organização das Nações Unidas; as novas regras da economia internacional.
A primeira vaga de descolonizações.

1.2. O tempo da Guerra Fria – a consolidação de um mundo Bipolar
– O mundo capitalista: a política de alianças liderada pelos EUA; a prosperidade económica e a sociedade de consumo; a afirmação do Estado-providência.
– O mundo comunista: o expansionismo soviético; opções e realizações da economia de direcção central.
– A escalada armamentista e o início da era espacial.

1.3. A afirmação de novas potências
– O rápido crescimento do Japão; o afastamento da China do bloco soviético; a ascensão da Europa.
– A política de não-alinhamento; a segunda vaga de descolonizações.

1.4. O termo da prosperidade económica: origens e efeitos.

2. Portugal do autoritarismo à democracia

2.1. Imobilismo político e crescimento económico do pós-guerra a 1974
– Estagnação do mundo rural; emigração. Surto industrial e urbano; fomento económico nas colónias.
– A radicalização das oposições e o sobressalto político de 1958; a questão colonial – soluções preconizadas, luta armada, isolamento internacional.
– A “primavera marcelista”: reformismo político não sustentado; o impacto da guerra colonial.

2.2. Da Revolução à estabilização da democracia
– O Movimento das Forças Armadas e a eclosão da Revolução.
– Desmantelamento das estruturas de suporte do Estado Novo; tensões político-ideológicas na sociedade e no
interior do movimento revolucionário; política económica anti-monopolista e intervenção do Estado nos domínios económico e financeiro. A opção
constitucional de 1976.
– O reconhecimento dos movimentos nacionalistas e o processo de descolonização.
– A revisão constitucional de 1982 e o funcionamento das instituições democráticas.

2.3. O significado internacional da revolução portuguesa.

Módulo 9 – ALTERAÇÕES GEOESTRATÉGICAS, TENSÕES POLÍTICAS E TRANSFORMAÇÕES SOCIOCULTURAIS NO MUNDO ACTUAL

1. O fim do sistema internacional da Guerra Fria e a persistência da dicotomia Norte-Sul

1.1. O colapso do bloco soviético e a reorganização do mapa político da Europa de Leste. Os problemas da transição para a economia de mercado

1.2. Os pólos do desenvolvimento económico
– Hegemonia dos Estados Unidos: supremacia militar, prosperidade económica, dinamismo científico e tecnológico.
– Consolidação da comunidade europeia; integração das novas democracias da Europa do Sul; a UE e as dificuldades na constituição de uma Europa política.
– Afirmação do espaço económico da Ásia-Pacífico; a questão de Timor.
– Modernização e abertura da China à economia de mercado; a integração de Hong Kong e de Macau.

1.3. Permanência de focos de tensão em regiões periféricas
– Degradação das condições de existência na África subsaariana; etnias e Estados.
– Descolagem contida e endividamento externo na América latina; ditaduras e movimentos de guerrilha; a expansão
das democracias.
– Nacionalismo e confrontos políticos e religiosos no Médio Oriente e nos Balcãs.

2. A viragem para uma outra era

2.1. Mutações sociopolíticas e novo modelo económico
– O debate do Estado-Nação; a explosão das realidades étnicas; as questões transnacionais: migrações, segurança, ambiente.
– Afirmação do neo-liberalismo e globalização da economia. Rarefacção da classe operária; declínio da
militância política e do sindicalismo.

2.2. Dimensões da ciência e da cultura no contexto da globalização
– Primado da ciência e da inovação tecnológica; revolução da informação; ciência e desafios éticos; declínio das
vanguardas e pós-modernismo.
– Dinamismos socioculturais: revivescência do fervor religioso e perda de autoridade das Igrejas; individualismo
moral e novas formas de associativismo; hegemonia da cultura urbana.

3. Portugal no novo quadro internacional
– A integração europeia e as suas implicações.
– As relações com os países lusófonos e com a área ibero- americana.

Pode consultar aqui a planificação anual para o ano lectivo 2011/2012.

No comments yet»

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 28 outros seguidores

%d bloggers like this: